Uma pitada de cliché: Dia 1

Decidindo á ultima da hora vir para o Sul, e em três dias, fez com o carro fizesse 597 km em 4h50 minutos. Não andamos a 120 é claro, mas de Lisboa para baixo aquilo a estrada é um deserto que parece que um minuto corresponde há meia hora de caminho. 

Talvez seja da época do ano também, porque a verdade é que nas estações de serviço, os quartos de banho ainda estão limpos, e no caso dos W.C.’s das ladies, ainda há papel higienico e o cheiro é tolerante.

Chegamos a Armaçao de Pera um pouco assutados porque já não encontravamos uma estação de serviço há um tempo, e há mais de um tempo que o carro estava na reserva, e por volta das 16horas paramos na praia. E, citando ” Fugimos de Viana, para vento encontrar”. Mas ainda assim, a areia tem um toque especial, o ar tem um cheiro diferente e a maneira de se estar é outra. 

Praia Armação de Pêra

Panorama muito mal feito da Praia de Armação de Pêra

E depois de um pouco a esticar as pernas que bem estava a ser preciso, toca a seguir a ponta Atlântica do lado Algarvia,que sempre foi o ponto mais conhecido, querido e que para quem quer estar a vontade, sem stress é mesmo Sagres. E vento por vento, venha ele. Já que a cidade não é muito movimentada, ao menos há movimento de outra forma.

Ponte na entrada de Portimão

Chegado a Sagres foi arranjar alojamento uma vez que não foi nada combinado. E, como se vive só uma vez (e estou a citar outra vez..), ficamos no Hotel Baleeira. Lindo🙂 e vou por aqui umas fotos mesmo a turista cliché da vista do Hotel. Mais não seja para provar que lá estive😛

Vista do Mar do Hotel
Vista do Terraço do Hotel

E depois de um banho tomado, comer que a fome já era alguma, e foram as melhores lapas grelhadas que já algumas vez comi. Muito boas. Não me lembro do nome do restaurante, mas é logo na entrada de Sagres, a frente do Intermaché (decorei o sitio). 

De pança cheia, tinha que se desgastar. Deixou-se o carro no Hotel, e foi descer até ao Porto de Mar que é mesmo em baixo do Hotel, e depois ir ao, para sempre, Dromedário, que faço sempre confusão com outro bar famoso daqui que era o Motard que agora passou a ser chamado de Avenida. O Dromedário, originalmente possuido por um Alemão, foi considerado durante anos o melhor bar de todo o Algarve, e é fantástico, um bistro bar, pequeno, com óptimo ambiente, em que as pessoas vão lá para conviver, comunidade no cerne puro. E, outra coisa que acho surpreendente,é como uma vila como Sagres, consegue aguentar tanta variedade de bares e restaurantes diferentes e em Viana vai tudo á falencia. Aqui até um Indiano tem!!! Enquanto que em Viana fechou. E não é porque tem turistas, o movimento que passa por aqui no Verão não é o suficiente para justificar.

E deixo aqui mais algumas fotos. Amanha, será outro dia.

Porto de Mar
Umas escadas
A entrada do Dromedário (foto mesmo á turista xD )
Uma foto dos caracóis cá de baixo, porque sempre achei esquesito como é que no Norte, menos sol são escuros, e aqui em baixo, mais sol, são brancos xD

A entrada do Hotel

Descobri que a Tinkerbell existe e que mora cá por terras de Sul. Espero conseguir tirar uma foto amanhã.

Até á próxima!

2 responses to “Uma pitada de cliché: Dia 1

  1. Que bem! o hotel é mt giro e as paisagens mt bonitas sim senhora🙂 Foste com o André? Nós também vamos de fim de semana prolongado, mas para cima🙂 aproveita e faz um valente bronze😉 ***

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s