Por arieiros..

Ontem, lá fui eu e a Joana, para a Figueira da Foz, mais concretamente Tocha, para uma actividade de Verão promovida pelo “Ciência Viva”, para Monotorização de Charcos e observar toda a vida que existe num espaço tão pequeno e muitas vezes menosprezados por muitos. 

Um dia enublado é verdade, mas como todos sabem bom para os anfibios.

E, andamos por o meio dos arieiros,  que se formaram pensa-se porque o Mondego teria dois locais onde desaguava: uma a montante da Serra da Boa Viagem e uma a jusante, até que se chamaria a Ilha da Boa Viagem antigamente. Mas depois com o desflorastamento do tempo dos romanos e as obras, os sedimentos arrastados, acabariam por “tapar” a foz a norte da Serra, o que levou a uma erosão de tal forma que a linha de costa afastou-se. Criou se assim um pinhal com areia branca🙂 E, como é uma zona de mata nacional, e com caça permitida, criaram-se alguns charcos artificiais, e outros naturais, com uma quantidade de vida linda. E, tivemos sorte: tivemos o prazer de ver uma boa parte dela.

Uma borboleta que não estava com muita vontade de levantar voo
Uma aranha que não me lembro da Familia, mas que estava muito bem da vida a comer uma Libélula escarlate
Girino de Rã verde (Pelophylax perezi)
Adulto de Rã verde (Pelophylax perezi)
Girino de Tritão Marmorado (Triturus marmoratus)
Salamandra de Costelas Salientes (Pleurodeles waltl), o maior anfibio que temos
Cobra de Água Viperina (Natrix maura)
Descubram a rã verde🙂
Larvas de Libélula e de Libelinha. A que parece uma aranha é a da Libelula que é o que nos chamamos vulgarmente tira-olhos, e a mais fininha do lado esquerdo é de uma libelinha
Cobra Lisa Meridional (Coronella girondica) salva de um buraco num local de tratamento de água residuais

 Depois de visitar cerca de 6 charcos, em locais diferentes, e de muita areia tirada dos sapatos, e muitas camarinhas comidas,ficamos para a saída noturna. Com um pouco de chuva a acompanhar ( pouca como quem diz) tivemos uma sorte grande. Excepto que fotos só temos uma, porque o resto já estava sem bateria ou então deixavamos o material no carro, encontramos sapos parteiros, sapos comuns (Bufos bufos) aos montes, um sapo de verrugas verdes, e a unica foto que tenho, uma larva de um sapo de unha negra. 

Aliás, o sapo parteiro, tem uma história engraçada, que havia um concurso: quem encontra-se um sapo parteiro com ovos ganhava um maracujá. Aqui está, o meu merecido prémio por o ter encontrado🙂

Girino de sapo de una negra (Pelobates cultripes)

O maracujá🙂

Depois, na estrada, que parecia um campo minado com anfibios em lugar de minas para não os atropelar claro, vimos outra cobra de água viperina (Natrix maura) que esqueci-me do facto de quando estão com medo exalam um cheiro muito mau pela cloaca, e eu estava a segura-la exactamente nesse sitio. Fiquei com um cheirinho muito bom ^^ Mas foi muito bom e falo por mim, mas a Joana sei que sim, iamos de novo. Está marcado, para o próximo Abril🙂 Agora deixo-vos para ir aspirar o carro!

(Maior parte destas fotos são cortesia da Joana)

Até á próxima!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s